Baterista desde os 11 anos, Arthur Rezende é músico freelancer e vem atuando com Flávio Veturini, Vander Lee, Beto Guedes, Toninho Horta, Juarez Moreira, Marina Machado, Kadu Vianna, Pedro Morais, entre outros. Recebeu prêmios importantes como o "Jovem Instrumentista BDMG 2003" e ficou classificado em primeiro lugar no "1º Festival Odery&ModernDrummer 2007" na eliminatória de Minas Gerais, tornando-se finalista em âmbito nacional. Além de atuar como baterista e produtor, Arthur Rezende é professor desde 2002.

A Verdade Sobre os Rudimentos

14 de junho de 2011, por Arthur Rezende

Ao longo de vários anos lecionando, sempre me deparei com alunos que já tinham estudado anteriormente. E vi que a grande maioria se queixava sobre os Rudimentos. Pois muitos alegavam que, apesar de terem estudado todos, não percebiam evolução e também não sabiam o que estavam desenvolvendo ao certo.

Como professor, me senti obrigado a tentar entender isso. E foi então que comecei a mudar minha visão sobre os Rudimentos. A crença popular, é que se você estudá-los, irá desenvolver sua técnica. Mas vi que não é bem assim. Pois depende de como você irá estudá-los e de que técnica você quer desenvolver.

Os rudimentos vão muito além do que simples combinações de movimentos de mão.  Por ex: DD-EE-DD-EE ou DEDD-EDEE.  Então o que são essas combinações? Os Rudimentos são como fórmulas matemáticas compostas por variáveis, nas quais você pode empregar qualquer valor. Em outras palavras, esse valor é igual à técnica que você quer desenvolver. E o Rudimento nada mais é do que um "ambiente" criado para você desenvolver uma técnica específica.

O Rudimento sozinho não irá te acrescentar técnica. Você precisa saber que técnica você quer desenvolver e usar o rudimento para isso.  É ai que mora o segredo!

Existe, por exemplo, várias técnicas diferentes para se obter um toque duplo: Push-Pull (empurrar e puxar); Finger Technique (técnica dos dedos); Usando apenas o rebote; etc. Então, ao estudar o Papa-Mama, você precisa escolher que técnica de toque duplo você quer desenvolver antes de começar. E não simplesmente, pegar nas baqueta de qualquer jeito e sair fazendo DD-EE-DD-EE.

Agora nossa visão sobre os Rudimentos mudou. Sabemos que podemos estudá-los de várias formas diferentes (pois eles são variáveis). O Single-Stroke, por exemplo, pode ser estudado usando apenas movimentos de punho (para que haja um desenvolvimento dessa articulação), ou apenas movimento de dedos, ou usando os dois simultaneamente. O Paradiddles, pode ser  usado para desenvolver as técnicas de Upstroke, Downstroke e Nota Fantasma. E para o estudo das técnicas de pés, esse conceito também se aplica.

Concluimos então, que se não tivermos um bom direcionamento para sabermos quais técnicas podemos desenvolver com cada Rudimento e também qual é a melhor e mais eficiente forma de estudá-los, os rudimentos não passarão de simples letrinhas (D... E...).

É importante termos o auxílio de vídeo-aulas confiáveis ou de preferência um bom professor para otimizar esse processo.

 

Tags: dicas | estudo | rudimentos
Veja também: Artigos recentes | Pesquisar artigos | Autores | Todos os artigos