Redator/colaborador do Batera.com.br - notícias, entrevistas, artigos e biografias. Contato com assessorias de imprensa e produtoras, bandas, músicos, bateristas e percussionistas. Formado em jornalismo, músico e fotógrafo profissional (navios de cruzeiro internacional) e autônomo (produtos, eventos). Repórter em rádio AM; produtora de vídeo e TV; revistas especializadas (contas, marketing); jornais impressos; assessoria de imprensa (conteúdo, webrelease, redes sociais; SEO; Analytics).

Dio comemora 30 anos do segundo álbum

13 de julho de 2014, por Rafael Ferraz
Depois da boa recepção do álbum de estreia Holy Diver, em 1983, a banda Dio lançou o segundo disco de estúdio, The Last in Line, já no ano seguinte. Completando 30 anos hoje desde seu lançamento, ele foi gravado em Caribou Ranch, Colorado (EUA), e produzido pelo Ronnie James Dio. 

Com clássicos como We Rock e The Last In Line, é até hoje um dos preferidos pelos fãs da banda e apreciadores do gênero. Comemorando aniversário neste dia 13 de julho, o disco se destaca com a veloz I Speed At Night, a cadenciada One Night In The City, a balada Mystery e a famosa Egypt (The Chains Are On). 

Todas as nove letras e melodias desse álbum trintão foram escritas pelo líder Ronnie James Dio. A gravação é marcada por ser a primeira com o tecladista Claude Schnell, e contou ainda com Ronnie James Dio (Vocal e Teclados); Vivian Campbell (Guitarra); Jimmy Bain (Baixo) e Vinny Appice (Bateria).

Com arranjos de Angelo Arcuri e assistência de Rich Markowitz, o disco foi mixado no Westlake Audio e masterizado por George Marino no Sterling Sound, de Nova York (EUA). A capa traz o famoso mascote Murray Maor com ilustrações de Barry Jackson, e ganhou disco de platina, com 1 milhão de cópias vendidas.

De acordo com a discografia oficial, o baterista Vinnie Appice lembra até do esquema das gravações na época. Segundo ele, mesmo com 2/3 das músicas compostas, era gravada uma música por vez com apenas a faixa base que às vezes nem continha guitarras, e só então Ronnie criava a linha vocal, os solos e teclados. 

Outro detalhe de que Vinnie se recorda é que aquela foi a primeira vez que utilizou ton-tons com peles nos dois lados, e que ao vivo ele retornou a utilizar apenas os tom-tons com peles no lado de cima (sem a pele de resposta) - o que segundo ele deixou o som um pouco menos agressivo no álbum.

Ouça a canção:

Comentários

Veja também: Artigos recentes | Pesquisar artigos | Autores | Todos os artigos