Site batera.com.br homenageia todas as mulheres bateristas e percussionistas

08 de março de 2013, por Site Batera - Editorial
Caroline CorrDesde sua origem no século XX, até os dias de hoje, a bateria - como instrumento rítmico de percussão, é visto por muitos como “coisa de homem”. O preconceito ainda existe. Quando se trata de uma mulher baterista, a desconfiança e a não aceitação são os maiores incômodos para as musicistas. Mas elas são tão competentes quanto qualquer homem, as mulheres também têm swing, percepção musical, dominam os ritmos, as levadas, o gig, ao vivo ou em estúdio. Prova disso é a lista de mulheres bateristas, que não para de crescer. 

É claro que o surgimento de bateristas profissionais mulheres, não acompanha nem de longe o de homens, mas fique claro que isso se deve a qualquer motivo menos à incompatibilidade física com o instrumento. Infelizmente, por causa do preconceito, muitas adolescentes e mulheres deixam de tocar, estudar e praticar bateria. Algumas até creem, por algum motivo, que não lhes cairia bem e que bateria é coisa de homem. Nada disso é verdade.

Algumas mulheres com destaque na área de batera e percussão, como Fernanda Terra, Vera Figueiredo e Nina Pará, sempre são lembradas por seus talentos. No entanto, para evitar o que muitos jazzistas e músicos profissionais chamam, com todo respeito e carinho, de “clubinho de roqueirinhas”, também vale muito a pena lembrar algumas feras como a respeitada Lilian Carmona, ou a brasileira Simone Sou e a americana Cindy Blackman, a lindíssima Caroline Corr e a mística Meytal Cohen.

Em uma banda, a(o) baterista é o maior responsável pelo ritmo e andamento da música. Por ser um instrumento percussivo, a “pegada” da(o) baterista é o mais importante (depois da experiência), pois define o ritmo da música. Bumbo, surdo, chimbau, caixa e pratos (podendo ter vários tipos de tom-tons), há muito deixou de ser coisa de machão. 

Bons bateristas são músicos experientes com um ouvido acurado para o ritmo e a forma musical, que agem como a força rítmica de todo um conjunto. Um bom baterista é preciso, técnico e sensível ao que a música pede, sabendo exatamente onde colocar notas e onde deve haver espaço para a música respirar. E na hora de fazer isso muito bem, as mulheres são imbatíveis.

Veja as entrevistas exclusivas do Batera com Simone Sou e Lilian Carmona.

Comentários

Veja também: Artigos recentes | Pesquisar artigos | Autores | Todos os artigos