Site batera entra no "clima dos protestos" com lista de músicas que fizeram história

20 de junho de 2013, por Site Batera

Em um país plural que passou por marcante ditadura militar, o Brasil, ao lado de grandes artistas, sempre entoou músicas e clássicos da MPB para dar voz às lutas, protestos e reivindicações. Para a maioria, a música é forma de expressar sentimentos, desejos e frustrações. O conceito, que está muito próximo da atual realidade, utiliza a arte como forma de “abrir os olhos da humanidade” para as questões políticas.

Nas últimas semanas várias capitais e cidades brasileiras têm sido palco de manifestações e protestos pelo fim da corrupção, contra o aumento nos preços do transporte e ação da Polícia Civil. Nesse clima uma música criada para uma campanha publicitária ganhou uma nova interpretação.  O hit “Vem pra Rua” de Falcão começou a ser usado em vídeos na internet pelos manifestantes. A música, que convoca a torcida brasileira para ir às ruas torcer pela seleção, tem o forte refrão "vem pra rua, porque a rua é a maior arquibancada do Brasil". 

Seguindo a lista, o baiano Caetano Veloso, aparece com duas canções que fazem parte da história da música no Brasil. São elas 'Alegria, Alegria', lançada em 1967, com letra que critica o abuso do poder e da violência e, as más condições do contexto educacional e cultural. E a famosa 'É Proibido Proibir', de 1968, canção de manifesto sobre grandes mudanças culturais que estavam ocorrendo no mundo naquela década.

Outro grande artista que aparece na lista, é o cantor e compositor Chico Buarque, com 'Cálice', de 1973, 'Apesar de Você', de 1970, e também 'Jorge Maravilha', de 1973, quando o cantor usou o pseudônimo de Julinho de Adelaide, criado para driblar a censura.

Outra música usada em protestos é acomposição de Aldir Blanc e João Bosco, 'O Bêbado e o Equilibrista', gravada por Elis Regina, em 1979. “Para Não Dizer Que Não Falei das Flores', de Geraldo Vandré, lançada em 1968, música que virou um hino para os cidadãos que lutavam pela abertura política.

Além dessas, aparece ainda a música 'É', composta por Gonzaguinha em 1988, e a conhecida 'Geração Coca-Cola', da banda Legião Urbana, lançada em 1985. Essa mesma banda lançou antes, 'Que País é Este', em 1978. O "Maluco Beleza", Raul Seixas com 'Mosca na Sopa' é outra obra de protesto, gravada em 1973. Quem faz parte dessa lista é o sambista Zé Ketti, quem em 1965, lançou 'Acender as Velas'.

O Hip Hop vem junto com 'Homem na Estrada' dos Racionais Mc's e a polêmica 'Polícia', dos Titãs, canção que critica as ações policiais e a forma como a sociedade vê a polícia inserida nela.


Comentários

Veja também: Artigos recentes | Pesquisar artigos | Autores | Todos os artigos