Argus Montenegro

06 de maio de 2011, por Site Batera

Argus Começou a tocar pandeiro tardiamente, aos 21 anos de idade. Logo se sentiu muito à vontade com o instrumento e começou a tocar bateria. Após aprender a tocar bateria como autodidata, começou a tocar em alguns bares e clubes porto-alegrenses.

Tocou com importantes artistas da música brasileira, incluindo a cantora também porto-alegrense Elis Regina, Carlos Lyra, Sérgio Mendes, Tom Jobim e Antônio Solero.

Argus Montenegro foi endorsee das Baterias Odery e das Baquetas C. Ibañez , onde chegou a possuir uma linha de baquetas com seu nome.

No fim de sua vida, morou em um uma pequena casa de fundos no Bairro Glória, em Porto Alegre, se recuperando de um acidente na coluna ocorrido na entrega de um prêmio, no Auditório Araújo Viana, em Porto Alegre.

Um longa-metragem chamado Argus Montenegro & A Instabilidade do Tempo Forte foi gravado para contar sua história, dirigido por Pedro Lucas e produzido pela Artéria Filmes.

Foi professor de talentosos bateristas do cenário musical brasileiro, incluindo Kiko Freitas, Nenê, Daniel Batera e seu filho Zé Montenegro, importante baterista porto-alegrense.

Argus Montenegro foi líder da Argus Montenegro Trio, composta pelo próprio na bateria, Adão Pinheiro no piano e Tenisson Ramos no baixo. O repertório inclui clássicos consagrados da Bossa Nova e do Samba.

Argus faleceu na madrugada do dia 15 de junho de 2008.

 

 

Veja também: Todas as biografias