Bate-papo Batera com Cacaujones e Bráulio Mayrink

27 de abril de 2015, por Rafael Ferraz
Depois da entrevista com Claudio Abreu, idealizador do Tambores de Cristo entre outros eventos do gênero, o site Batera conversa duas das principais atrações desse encontro, os bateristas Cacaujones, que já tocou em outras duas edições, e Bráulio Mayrink, participando pela primeira vez.
 
Encontro gospel de bateristas e percussionistas que chega na sua 12ª edição no Vale do Paraíba, interior de São Paulo, o Tambores de Cristo será realizado nesta sexta-feira, feriado do Dia do Trabalho, em 1º de maio
 
Baterista carioca com o nome artístico de Cacaujones, Antônio Carlos Monteiro de Souza nasceu em 15 de maio na cidade de Nova Friburgo (RJ). Com formação autodidata e uma carreira iniciada aos 14 anos de idade junto à banda de seu pai, tocou em diversas cidades da região serrana do Rio de Janeiro. 
 
 
Logo chamou atenção de uma orquestra de carnaval, sendo contratado para fazer parte e ficou por 7 anos atuando na mesma. Pouco depois, ao ganhar mais experiência ficou conhecido no mercado musical e com apenas 10 anos de estrada recebeu propostas de trabalhos com artistas nacionais, até que, no ano de 1992 foi chamado para uma banda que faria a inauguração de uma casa de show em Portugal. 

Tendo a opção de viver na Europa, ficou reconhecido por seu trabalho até o contrato que mudaria sua história. Conheceu o maestro Uriel, músico também brasileiro que o chamou para atuar em um programa de calouros na TV, pela emissora SIC, conveniada a Globo do Brasil. Cacaujones ficou 7 anos na emissora onde teve contato com vários artistas brasileiros e portugueses.
 
 
Ao longo de 15 anos na Europa, retornou ao Brasil para viver e resolveu iniciar seus estudos musicais por conta própria. Depois de pesquisas e muita dedicação, colocou em prática o desejo de lecionar e passou a dar aulas na academia de Artes San Remo, e em seu estúdio, com aulas particulares na sua terra natal -- onde vive ainda hoje fazendo shows com alguns artistas e com seu trio de música instrumental, participando de workshops, eventos e encontros de bateristas pelo Brasil.

Já o batera Bráulio Mayrink, que participa do Tambores de Cristo pela primeira vez, nasceu em Barbacena (MG) dia 26 de março de 1977. Aos oito anos, já em Juiz de Fora, se apaixou pela bateria após assistir ao show de um trio de jazz. Desde então, participou de shows, workshops, gigs, jam sessions, subs com diversos grupos, músicos e bandas.
 
 
Em 2005 fez aulas com o norte americano Jimmy Duchowny, em 2009 com Cuca Teixeira, e em 2012 com Aquiles Priester. Em 2014 teve algumas aulas com João 'Big' Charles, "baterista que o influenciou a viver de música a quase 30 anos atrás", segundo sua biografia.

Gravou o CD "Cidade Alternativa", em 1995 com a banda Vorace. Em 2006, gravou o CD "Viagem" com o Quarteto Ária. Em 2009, gravou o CD e DVD do cantor Kildere (programa Fama - Rede Globo) e, no ano de 2010, gravou o CD "Deixa Deus Te Amar", do cantor Daniel Ribeiro e Comunidade Resgate.

Reconhecido como dos principais educadores musicais de Juiz de Fora, com uma média entre 65 e 70 aulas semanais, é sócio proprietário e professor da LIVE - Espaço Musical em Juiz de Fora, inaugurado em 2001; é membro fundador do núcleo de bateria da mesma cïdde; autor de livro educacional de Música, lançado em 2012. Professor de bateria em Muriaé (MG), e aulas mensais no Studio Future.
 
 
Idealizador em tempo integral de eventos musicais em Minas, a exemplo do Encontro de Bateristas e Percussionistas de Juiz de Fora, realiza constantemente workshops e masterclasses para divulgação destas empresas e do seu livro "Bateria Complementar". Atualmente está finalizando seu DVD deste livro, com mesmo tema, de exercícios, performances musicais e solo.  
 
 
Acompanhe o papo com os bateristas Cacaujones e Bráulio Mayrink:

Cacaujones

Você já participou de outras edições do Tambores de Cristo. O que vai apresentar dessa vez? 

Sim, é a terceira vez, tive a felicidade de participar em outras duas. Creio em manter minha concepção de um solo com contexto ritmos Brasileiros agregados, e tocarei dois temas Acidjazz.

Em relação às primeiras vezes, o que muda nesta edição do evento? 

O que muda são as ideias, favorecendo agora com presenças de percursionistas, guitarristas e baixistas a fazerem parte deste encontro, que vem agregar outros instrumentistas e assim enriquecer este evento.
 
 
Como é ser convidado para organizar e participar da produção desse encontro? 

Uma honra poder participar desses festivais que o Claudio organiza e com a garra e a paixão que ele tem junto a esta linda arte, pois a grandeza que tornou nossa amizade e o carinho para com todos os convidados.

Sobre sua sua carreira, há quanto tempo voltou da Europa, e quais são seu planos futuros? 

Eu regressei no ano de 2003 e atualmente participo desses eventos, festivais, encontros de Bateras, workshop e shows com artistas. 
Quanto ao futuro, espero ver cada vez mais eventos e os apoios que os artistas precisam para esta arte crescer a cada ano e, assim, permanecermos com a união desta Arte dos Tambores. Que cada talento que venha surgir ao longo dos anos, possa ter as oportunidades e o legado que o Claudio e. outros músicos desta nação, que estão ai a realizar seus eventos com toda grandeza e atenção que nossa cultura merece.


Bráulio Mayrink

O que acha de tocar na 12ª edição do Tambores de Cristo, um evento que acontece há praticamente uma década?
 
Inicialmente, devo agradecer ao amigo e baterista Cláudio Abreu pelo convite. Estou muito honrado em participar deste evento ímpar e poder contribuir para que este projeto continue e evolua sempre. Este projeto visa apresentar diferentes bateristas e percussionistas de várias regiões e promover a troca de informações entre eles e o público presente. Acima de tudo, queremos mostrar e agradecer o "Dom" que recebemos de Deus, tocar um instrumento musical e louvar com ele. O amigo Cláudio produz este evento e tem atenção a detalhes que por vezes passam despercebidos em outros workshops ou Encontros de Bateristas pelo Brasil.
 
Como será sua apresentação?
 
Farei uma apresentação solo, assim como vários companheiros de evento. Tocarei alguns temas que acho relevantes e que possam ser úteis para os meus parceiros de palco e para o público.
Tenho 30 anos de bateria e 20 anos como professor deste instrumento. Nestes anos ministrando aulas, consegui forjar o meu método, a minha didática de ensino. E procuro levar aos eventos que participo exatamente isso. Plantar uma nova semente, induzindo o raciocínio e a pesquisa para todos presentes.

Você pretende trabalhar um pouco da bateria complementar, tema abordado em seu método?
 
Como mencionei anteriormente, algumas características do meu estilo, da minha forma de enxergar a bateria, estão intrínsecos no meu playing. Mas essas características aparecem normalmente, sem forçar a barra! Meu método "Bateria Complementar", lançado em 2012 apresenta várias destas características que chamo de "Pilares da Bateria". São eles, a versatilidade, independência na coordenação, ambidestria, dinâmica e  rudimentos. A ideia é levar os bateristas a pensar de maneira complementar à música, adicionando detalhes interessantes a arranjos rítmicos comuns. O trabalho busca levar o estudante a um novo nível de musicalidade, mas sem perder a linha característica do ritmo inicial.
 
 
Na prática, o que esse tipo de evento pode agregar na carreira dos bateras que estão começando? 
 
Principalmente experiência. Conviver, ouvir e ver como os bateristas com mais estrada trabalham, pode ser um grande ensinamento fora das salas de aula. As vezes precisamos de palavras de incentivo, e creio que neste evento, isso não irá faltar. O poder de uma palavra positiva, de pessoas bem intencionadas e que pensam no bem comum, fará do 12º Tambores de Cristo um sucesso absoluto!
 
Em relação a seus trabalhos, como será o ano de 2015 (lançamentos, projetos, etc..)? Planos futuros?
 
Espero muito deste ano de 2015. Apesar deste momento de crise nacional que atinge todos os setores da sociedade, sinto que após o mês de março, os projetos musicais voltaram a evoluir. Meu foco principal de atuação profissional são as aulas particulares, Workshops e Masterclasses. Os demais trabalhos também acontecem, como shows, gravações e afins. Creio que nos próximos meses lançarei meu 1º DVD, intitulado também “Bateria Complementar”. Foi gravado em São Paulo (SP), no Instituto Fabiano Manhas e também em Juiz de Fora (MG), no Studio Maquinaria. Estamos na reta final e estou muito ansioso para apresentar este material. Assim que este material "nascer" darei início a mais uma tour de Workshops.
 
 
 



Galeria de imagens

Comentários

Veja também: Todas as entrevistas