Batera Patrick Carney lança críticas contra o U2

21 de outubro de 2014, por Rafael Ferraz
O baterista da banda Black Keys, Patrick Carney criticou o U2 depois que o grupo de Bono Vox liberou o último disco "Songs of Innocence", de graça no iTunes. Segundo o The Seattle Times, Carney diz que o formato de difusão escolhido pelos irlandeses "desvalorizava suas músicas completamente". 

"Isso manda uma mensagem para os outros de que eles estão com dificuldades. Acho que eles pensaram que seria uma coisa super generosa fazer isso", disse Carney que ainda reiterou a posição anti-streaming dos Black Keys. A título de exemplo, os mais recentesEPs, 'El Camino' e 'Turn Blue' não estão disponíveis no Spotify.

Questionado por não liberar músicas para streaming on-line, ele se justificou: "Minha coisa com música é que se alguém está ganhando dinheiro em cima disso, o artista deveria tirar alguma parte do lucro. O dono do Spotify vale algo como U$3 bilhões (R$7,5 bi). Ele é mais rico que Paul McCartney, tem uns 30 anos e nunca escreveu uma música". 

Com reações adversas à operação de distribuição gratuita via iTunes, que continuam a chegar - o U2 já havia sido criticado antes por Sharon Stone e Iggy Pop por lançar as músicas de forma compulsória, direto na biblioteca dos usuários do iTunes. Nesta semana, Bono Vox, líder do grupo, pediu desculpas pelo download automático do álbum.
 

Veja também: Notícias recentes | Pesquisar notícias | Todas as notícias

Comentários