Baterista culpa vocalista viciado pelo fim da banda

10 de fevereiro de 2014, por Editorial
Em entrevista publicada na última edição da revista britânica Metal Hammer, o baterista Vinnie Paul falou, entre outros assuntos, sobre os últimos anos do Pantera, sua antiga banda. Paul acredita que o grupo acabou graças ao uso abusivo de heroína do vocalista Phil Anselmo.

"O momento próximo ao fim foi quando a droga surgiu para Phil Anselmo e começou a transtorná-lo. Foi quando a banda começou a se separar e ele começou a exigir o seu próprio ônibus de turnê. Nós o víamos antes do show e logo depois ele ia embora", revelou o atual baterista da banda Hellyeah.

O músico afirma que Phil Anselmo era completamente instável. "Nunca sabíamos qual Phil estaria ali conosco. Poderia ser o pitbull que todos nós conhecemos e amamos, ou poderia ser um cara que foi completamente apunhalado pela heroína, fora de si, sem saber o que deveria fazer", afirmou. 

Paul explica que as viagens também complicaram a relação do Pantera. "Tudo ficou mais difícil por conta do ciclo de turnês, e nunca tivemos uma pausa", disse Paul que garante não ter vícios, assim como o guitarrista Dimebag Darrell e o baixista Rex Brown não tinham vícios. 

"Sequer sabíamos que ele usava heroína. Éramos os caras mais anti-drogas possíveis. Eu tinha que lidar com tendinites, mas nunca recorri às drogas", disse Vinnie ao revelar estar decepcionado em relação ao futuro que o Pantera poderia ter tido. "Nossa intenção nunca foi parar, até Phil afirmar que preferia trabalhar com o Down e Superjoint Ritual. Eu sentia que seríamos os Rolling Stones do heavy metal. Poderíamos ter sido", concluiu.
Veja também: Notícias recentes | Pesquisar notícias | Todas as notícias

Comentários