Baterista do Metallica fala sobre a baixa bilheteria do filme em 3D da banda

23 de outubro de 2013, por Editorial
"Metallica Through The Never", o longa em 3D da banda americana Metallica, foi exibido no festival do Rio com fracasso de bilheteria. O filme custou 18 milhões, mas só faturou 3,2 milhões, nas primeiras duas semanas de sua exibição. Um prejuízo para a banda, já que a produção foi financiada pelos próprios integrantes que investiram cerca de US$ 18 milhões.
 
Apesar do prejuízo, o baterista Lars Ulrich revela à imprensa que não está muito preocupado. "Isso é muito falado na mídia, mas é algo mais complexo do que parece. Se não lucrarmos agora, daqui alguns anos conseguimos retomar esse dinheiro vendendo camisetas ou merchandising do tipo", disse ele despreocupado em entrevista ao The Quietus.

Lars acredita que o filme vai deixar um "legado póstumo", por isso não está abalado. Para ele, sempre acontece algo bom derivado desses projetos. "Devemos esperar para ver no que pode dar", afirmou em entrevista.
Veja também: Notícias recentes | Pesquisar notícias | Todas as notícias

Comentários