Baterista do Pink Floyd também critica U2

06 de novembro de 2014, por Rafael Ferraz
Depois das críticas do batera Patrick Carney (Black Keys), foi a vez do único integrante da formação original do Pink Floyd, o baterista Nick Mason criticar a atitude do U2 ao disponibilizar um lançamento, como o novo disco 'Songs of Innocence', gratuitamente no iTunes. 

O inglês Nicholas Berkeley 'Nick' Mason, baterista e compositor - o único que não saiu desde a formação do Pink Floyd em 1965, afirmou em entrevista à Rolling Stone, que o método utilizado pelos irlandeses não deve servir de exemplo.

"Disponibilizar uma música de graça desvaloriza horrivelmente o trabalho da banda. Engraçado é que eles não tenham percebido isso", disse o baterista ao comparar o 'Songs of Innocence' ao seu novo álbum, 'The Endless River'. Para ele, a banda de Bono Vox "fez tudo ao contrário", diferente do Pink Floyd que gravou à moda antiga.

Antes dele, foi o baterista Patrick Carney do duo Black Keys, que lançou críticas sobre o fato. Segundo o The Seattle Times, ele disse que a atitude dos irlandeses "desvalorizava suas músicas completamente". De acordo com Carney, "Isso manda uma mensagem para os outros de que eles estão com dificuldades."
 
Até mesmo os usuários do iTunes haviam se incomodado como o Nick chama de "grande dilema da indústria no século 21". Usuários da plataforma receberam o conteúdo do álbum sem a opção de baixá-lo ou não, ficando irritados com a "imposição". 

Por essa não ser a primeira vez que 'Songs of Innocence' é alvo de críticas, Bono recentemente se desculpou com os usuários da Apple, admitindo o erro pelo que disse ter sido uma decisão tomada em um momento de "generosidade e megalomania".
Veja também: Notícias recentes | Pesquisar notícias | Todas as notícias

Comentários