Bob Marley ganhará documentário sobre trajetória musical e pessoal

02 de julho de 2012, por Site Batera
Narrar o melhor da música através do melhor cinema é uma combinação vencedora à qual recorre Kevin MacDonald em "Marley", documentário em que o autor de "O último rei da Escócia" segue os passos de outros cineastas como Martin Scorsese, Jonathan Demme e Wim Wenders, que mergulharam nos arquivos de seus ídolos musicais.

Desde "The Glenn Miller story", com James Stewart, e "A canção inesquecível", com Cary Grant encarnando um Cole Porter sem qualquer indício de homossexualidade; até o magistral "Amadeus", de Milos Forman, que ganhou oito Oscars, passando por "The Doors", de Oliver Stone, o cinema recorreu a mestres da música para inspirar seus filmes.

Mas nos últimos anos muitos cineastas preferiram abordar seus ídolos através do gênero documentário, o que os transforma em privilegiados admiradores com acesso ao material musical e pessoal dessas estrelas da música até compor histórias, algumas mais oficiais do que outras, mas todas igualmente apaixonantes.

Assim entendeu Kevin MacDonald, diretor que deslumbrou o público com "O último rei da Escócia" mas que, na realidade, já tinha ganhado um Oscar como documentarista em "One day in september", sobre o mesmo fato histórico que inspirou Steven Spielberg em "Munique".

Em "Marley", partindo do convívio familiar do cantor de "No woman, no cry", o diretor maneja com grande talento dramático o material de arquivo e faz uma emocionante viagem pela história da Jamaica, pela arte como salvação e por um posicionamento dentro da sociedade que seja alheio aos costumes estabelecidos pelo Ocidente.

Se em "Amadeus" Forman fazia um inquietante estudo da mediocridade e da inveja, MacDonald desvia o olhar para a politização dos ídolos de massas e a liberdade sentimental. Tudo isso, claro, com uma excelente trilha sonora.

Fonte: G1
Veja também: Notícias recentes | Pesquisar notícias | Todas as notícias