Nova onda de bateras escritores pegou: agora é a vez de John Densmore falar sobre o The Doors

12 de maio de 2013, por Editorial
O baterista do The Doors, John Densmore, está lançando um livro com o título “The Doors Unhinged: Jim Morrison's Legacy Goes on Trial”. Na publicação, o músico lembra os percalços da banda e briga com os companheiros.

À revista Rolling Stone, o baterista conta um episódio de 1968, quando o líder da banda, Jim Morison, descobriu que os demais músicos estavam tentados em vender uma de suas canções – Light My Fire – para um comercial da marca de automóveis Buick. "O Jim disse-nos que já não podia confiar em nós. Tínhamos concordado que nunca usaríamos a nossa música em anúncios, mas era difícil recusar a soma que a Buick nos estava a oferecer [cerca de 60 mil euros]. O Jim disse que tínhamos feito um negócio com o Diabo e que se deixássemos [o anunciante] mudar a letra [de "come on baby light my fire" para "come on Buick light my fire "] iria destruir um Buick com um martelo pneumático, em palco", conta o baterista.

No livro, ele conta também detalhes da batalha legal que travou com Robby Krieger, guitarrista, e Ray Manzarek, tecladista do The Doors. O baterista acredita que os Doors morreram em 1971, quando Jim Morrison foi encontrado sem vida, e esclarece que não quis impedir os antigos companheiros de tocar, mas sim de usar o nome Doors.

Tags: The Doors
Veja também: Notícias recentes | Pesquisar notícias | Todas as notícias

Comentários