Percussionista brasileiro vai ao Japão dar aulas de samba

20 de setembro de 2014, por Rafael Ferraz
Nascido e criado em São Vicente, cidade do litoral de São Paulo, o percussionista Wagner Galdino vai atravessar o mundo para ensinar samba aos japoneses. Com 45 anos de idade e a missão de formar uma ‘bateria show’, o músico embarca através de um intercâmbio cultural na próxima quarta-feira (24) para cidade de Naha, na província de Okinawa, no Japão. 

Com o intercâmbio, Galdino busca estreitar os laços que já existem entre essas duas cidades do Brasil e Japão, além de trazer novidades para a comunidade local. O percussionista deve mostrar aos japoneses como tocar o samba e pretende formar um grupo na cidade com outra visão, mas mantendo a batida e coreografias. Além de ensinar, ele também espera aprender novas técnicas, como tocar o tradicional instrumento musical japonês taikô. 

Galdino já se prepara há cerca de três meses para a viagem, conversando com professores que já participaram do intercâmbio, lendo e conhecendo mais sobre a cultura japonesa. Segundo ele, em entrevista publicada no último dia 18, no site da Globo - G1 Santos, a dificuldade com o idioma será superada com ajuda de um tradutor e o samba. "O Japão é um país com muita tecnologia, mas a percussão, o samba, certamente chamará atenção".

A reportagem também explica como o vicentino foi escolhido para o intercâmbio. Galdino já contribui com a cultura da cidade e da região como alegorista, compositor e artesão. Já foi mestre de bateria de diversas escolas de samba, como Imperatriz da Ilha, União Imperial, Sangue Jovem, Mocidade Padre Paulo e Acadêmicos de Praia Grande. Na viagem rumo ao Japão marcada para a próxima quarta-feira, ele ficará fora por dois meses.
 
 
Veja também: Notícias recentes | Pesquisar notícias | Todas as notícias

Comentários