A Percussão da Índia

Adalberto Brajatschek (Magoo)
- 3min de leitura

A Percussão da Índia

Passeando pelo infinito mundo do som podemos conhecer e identificar culturas distintas, encontramos a identidade de um povo e muito de sua história.

E existem instrumentos que nos trazem uma leve sensação de viajar pelo mundo, ou pelo país. É assim com o taiko japonês, com alfaia, típico no maracatu, com o Tamburello, grande pandeiro da Itália usado principalmente para a música folclórica; com a Cítara, da Índia e muitos outros.

Hoje vamos falar da percussão da Índia, e os principais são: Tabla e Mridanga.

Amir Khusru, que também desenvolveu a cítara no Norte da Índia, criou a Tabla, instrumento de percussão de 2 partes criado a partir do Pakawaj, antigo instrumento de percussão Indiano muito parecido com o Mridamgam. Amir cerrou o Pakawaj em duas partes, vedou a partes abertas de baixo e colocou as tiras de couro, daí surgiu a Tabla. Aprender a tocar bem a tabla, igual que a maioria de instrumentos indianos, leva muitos anos de aprendizagem e treino.

O Mrdanga é um instrumento milenar, fabricado artezanalmente normalmente é usado em desfiles, música clássica indiana, mantras e meditações transcendentais. Um tambor tocado dos dois lados, um dos quais é maior que o outro. O lado maior produz um som grave, encorpado, enquanto o outro produz um tom bastante alto. A palavra Mrdanga vem das palavras “Mrit” e “anga” que significam barro e corpo, respectivamente.

Existem outros, não menos importantes, como:

Pakhawaj - Nakkara - Ghatam - Thavil - Khanjira - Edakka - Chenda - Mizhavu - Karnataka - Sambal - Karadi

Em outros estados e territórios, sem contar os das tribos, tem o Dimdi, o Dholak, o Badangshi, o Maam, o Pung, o Mandar de Bihar, o Dup de Andhra Prodesh, o Karadi Majalu e a Tayambaka.

”A música preenche o infinito entre duas almas” - Rabindranath Tagore

Veja no vídeo abaixo, um dueto com solos para esses dois instrumentos:

“Artigo originalmente escrito por Adriana Pivatti, postado em 27 de abril de 2012"